OBS.4s: observações quadradas para um mundo redondo sobre um Deus triúno!

24/11/2008

Vocação

Desenvolver nossa vocação e aplicar-se ao aprendizado da tarefa que desejamos executar com entusiasmo durante nossa vida é algo que temos deixado de lado enquanto caminhamos em busca de ser o que não somos, de ser aquilo que não nascemos para ser.

Muitos são os motivos que nos fazem desviar nossa viagem em busca da nossa vocação, mas listá-los não é o objetivo deste texto.

Alguns conceitos sobre o assunto em questão – vocação:
Trabalhar é cooperar com Deus para colocar ordem no caos.
Servir a Deus é servir o próximo.
Ocupação: trabalhar só pelo dinheiro;
Emprego: aluguel de capacidade – objetivos diferentes da missão. Ex: publicitário da Souza Cruz, advogar em favor do criminoso, engenharia de arma de destruição em massa, etc.
Carreira: aluguel de capacidade – objetivos iguais da missão; Ex: publicitário, dentista, médico, enfermeiro, engenheiro, costureira, cozinheiro, pintor, enfim, toda carreira que coopera com Deus para colocar ordem no caos.
Vocação: é o que você é!

Existem algumas perguntas que nos ajudam a descobrir nossa vocação, como:

O que você ama fazer? O que você ama fazer e faz com o pé nas costas? O que você ama fazer, faz com o pé nas costas e não cobraria nada por isso?
A resposta a estas perguntas é sua vocação!

Esta semana, vendo um vídeo no YouTube (Rob Bell – Nooma 016 Store), acrescentei uma outra pergunta que devemos fazer: O que te deixa com raiva?
O que você olha e diz: “Isso está errado! Não poderia ser assim. Alguém tem que fazer alguma coisa pra mudar!”?
Como é possível que exista alguém neste mundo que não tenha a bíblia em sua língua?
Não concordo com o comércio injusto!
Estou cansado de mensagens superficiais!
Não ao subdesenvolvimento!

Pensando na prática, agora, devemos perguntar:
O que estou fazendo hoje está me levando ao desenvolvimento de minha vocação?
Quais seriam meus próximos passos para fazer aquilo que nasci pra fazer?
O que tenho que renunciar para iniciar esta caminhada?
Realmente acredito que ser quem Deus me criou pra ser valeria a pena?

2 comentários:

Aefe! disse...

Observações muitos esclarecedoras sobre a vocação! Muito bom!

Só um comentário, para acrescentar. Creio que, algumas vezes, Deus nos chama para aquilo que menos gostamos, ou que temos muita dificuldade, para mostrar quem é que manda, quem é que é Deus, e para a Glória ser toda dEle.

Por exemplo, eu me sinto vocacionado para trabalhar com Tradução da Bíblia, mas sou péssimo em línguas, em gramática, etc, como outros que conheço. Ou mesmo, nosso exemplo mor de vocação, Moisés, chamado para liderar, mas se achava inapto para isso.

Assim, creio que a vocação para o trabalho implica mais a necessidade do povo para o qual Deus nos está chamando, quer para nossos dons, talentos e gostos pessoais.

Abraços.

Cristiano Silva disse...

Comecei a dar aulas este ano na EBD porque sentia o desejo no coração de ajudar as pessoas a terem um melhor entendimento da Palavra de Deus, e de quebra, incentivá-las a pensar e a buscar o conhecimento correto - não gosto de ver quando ambas as coisas não acontecem direito. Ainda não faço isso com "o pé nas costas" mas, hoje, é o que eu quero desenvolver, e ainda tenho muito a aprender sobre isso. Afinal, é apenas o meu primeiro ano.

De qualquer modo, quando a gente encontra um trabalho para Deus que tem a nossa cara, o nosso estilo, quão alegre é. :-) Espero me capacitar mais até o dia que eu me encontrar frente a frente com Nosso Senhor e mostrar para Ele o que eu fiz com o dom que Ele me deu.

A caminhada pode não ser fácil, mas não me sinto sozinho nela.

Abraços!