OBS.4s: observações quadradas para um mundo redondo sobre um Deus triúno!

05/07/2009

Conhecer a Deus e fugir da idolatria

A Bíblia é clara ao condenar qualquer tipo de idolatria. Vemos em suas páginas declarações de um único Deus que é Criador, Senhor e Salvador da humanidade. Ele é Deus e não divide sua glória com ninguém. Não por egoísmo, mas porque Ele pode! (Certo Aefe? rsrs).

Em algumas religiões percebe-se a idolatria de forma clara, já em outras nem tanto.

Nós, protestantes, nos orgulhamos por servir a um único Deus e nos gabamos por não ter este pecado escancarado nos nossos templos, mas construímos no nosso interior ídolos que colocam Deus, não em segundo, mas muitas vezes em terceiro ou quarto lugar em nossa vida. Colocamos pastores, grupos de louvor, igrejas, amigos, cônjuges nos altares que construímos em nosso coração. Este tema e estes ídolos já tem sido, graças a Deus, levantado em nosso meio para nos advertir quanto ao seu perigo (então não será tratado neste texto), mas gostaria de tratar aqui um outro tipo de idolatria. A idolatria a “Deus”.

No início da carta de Paulo aos Romanos o apóstolo condena os que possuem a revelação de Deus e não O adoram, mas constroem para si imagens do que, para eles, seria digno de adoração. No versículo 23 do primeiro capítulo de Romanos diz ... e mudaram a glória de Deus incorruptível em semelhança de imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis. Não vemos hoje, em nossas igrejas, imagens como estas, pois não temos a coragem de esculpir nosso “Deus” pois talvez ele se pareceria mais com o “Deus” criado por nossa mente do que o Deus revelado nas escrituras. Por vezes temos o atrevimento de “moldar” Deus de acordo com nossas necessidades e carências. Construímos um “Deus” que nos sirva, que atenda nossos desejos e que, acima de tudo, nos aceite como somos – sem a necessidade de nos transformar. Edificamos um altar para um “Deus” que nos convém e semanalmente entramos em nossos templos para o adorar.

Quem dera nosso “Deus” estivesse esculpido em cima de um altar em nossos templos, talvez assim conseguiríamos enxergar nosso pecado e nos arrepender dele e voltaríamos para o verdadeiro Deus revelado nas Escrituras.

Que através de uma vida dedicada à leitura e estudo da Palavra possamos voltar a adorar o nosso Deus desconhecido.

6 comentários:

polly disse...

Poxa muito bom esse texto de verdade, nunca tinha pensado nisso serve como um alerta com nossos pensamentos e atitudes antropocentrista, infelizmente muitas vezes moldamos Deus como queremos!!!

Renan disse...

Preciso texto. Construimos imagens de Deus o tempo todo em nossa mente e a ele adoramos... mas fiel mesmo é a Palavra

O Deus que se revela não é o mero aparato conceitual que produzimos.

“Nossa fé não tem que estar fundamentada no que nós tenhamos pensado por nós mesmos, senão no que nos foi prometido por Deus” Calvino

André Filipe, Aefe! disse...

Opa! Alerta muito bom!
Temois que tomar cuidado de adorar o Deus certo, da maneira certa, com os atributos certos! A gente tem um fraco pra criar o próprio deus imaginário!

Uma honra ser citado! rsrsrs

Grande abraço!

Anônimo disse...

Glórias ao nosso Deus Vivo e Vedadeiro, O qual temos que conhecer e prosseguir em conhecer, pois esta é a vida eterna (João 17.3).

Não adianta dizer que somos filjos sem buscar conhecer verdadeiramente o Pai !

Por isso, deixo a palavra intimidade (nas férias temos mais tempo ainda) e o trecho Romanos 12 1 e 2.

Jesus Cristo, Deus, abençoe a todos, Amém.

Danilo Fernandes disse...

É isto!

Voltar-se ao Pai, sempre. Firme na estrada e vivendo o que se oferece. Mas sem sair da estrada.

Camarada gostei do seu blog. Te sigo por aqui. Se tiver tempo passa no meu. Pelo que via aqui, você vai gostar.

Danilo
http://genizah-virtual.blogspot.com/

marcioruno disse...

Ótimo texto. Além de nosso Deus não habitar em tendas e nem em templos feito por mãos, Ele está acima dos moldes que nós o prendemos, seja por teologia, por doutrina ou até pela fé.
Abraços. Marcio Uno