OBS.4s: observações quadradas para um mundo redondo sobre um Deus triúno!

09/03/2008

Anarquia e Cristianismo


Estava na aula de Direito Tributário, a professora falando dos impostos que pagamos, impostos e mais impostos, pagamentos em cima de pagamentos. Revoltante. A classe pega fogo a cada imposto novo comentado. Então um amigo comenta comigo que o ideal mesmo seria o Anarquismo, e então começamos a conversar e concordei com ele. Foi nessa hora que minha professora nos ouviu conversando e começou a discutir também.

Anarquia é uma sociedade sem regras, uma sociedade que possui tanta conscientização pessoal e social que não necessita de leis, pois a conscientização obtida gera a ordem por si só. A professora começou a indagar como se viveria em um Estado sem leis, sem um regente que no Brasil é representado pelo nosso governo que é democrático e federativo. Então argumentei com a professora que eu acredito que exista a possibilidade de existir uma sociedade desse tipo.

Em minhas andanças de casa para o Mackenzie e do Mackenzie pra casa, sempre filosofo comigo mesmo, e existe uma idéia que fui desenvolvendo ao longo do tempo. O cristianismo representa uma anarquia!

Então você me pergunta: E o governo de Deus?

O relacionamento com Deus gera conhecimento, então temos a primeira semelhança. O conhecimento gerado por nosso relacionamento com Deus é um conhecimento que, acredito, passa por três vertentes: o conhecimento de si mesmo, o conhecimento do próximo e o conhecimento de Deus (não necessariamente nessa ordem). Quando uma pessoa possui um conhecimento aguçado de si mesmo ela sabe reconhecer suas necessidades, quando a pessoa detém o conhecimento sobre o próximo ela delimita seus limites e aprende a se relacionar e quando ela possui o conhecimento de Deus ela sabe para que, porque e para onde ela foi criada. Descobrindo, assim, qual sua natureza, qual o lugar que deve viver, qual forma deve viver, qual forma deve se relacionar, etc. Esses conhecimentos são extremamente necessários para que uma sociedade anárquica sobreviva.

Em segundo lugar, Jesus chama seus seguidores não mais de servos, mas sim de amigos, o que eu considero como uma forma de governo diferente da que vivemos. Quando vejo a maneira com que Deus governa o seu Reino vejo que tudo gira em torno do relacionamento Deus-homem e homem-homem. Quando obtemos o conhecimento descrito acima, acredito que passamos a viver como Deus quer que vivamos, como Deus gostaria que fizéssemos, como Deus gostaria que andássemos. Passando da posição de governante para amigo, uma vez que, se agirmos de acordo com a natureza que Deus nos fez, a humana, estaremos agindo de acordo com suas ordenanças! Sendo assim, não teremos um governante, mas sim um amigo!

Portanto, acredito mesmo que a agregação de conhecimento e sabedoria que Deus nos dá sobre nós mesmos, o próximo e sobre Ele mesmo gera em nós a capacidade de vivermos sem o controle autoritário e viveremos pelo controle do conhecimento.: um anarquia!

Então minha professora me indagou sobre meu ponto de vista. Expliquei para ela que o conhecimento que Deus nos dá é um conhecimento como o explicado acima e que esse conhecimento é capaz de transformar possível uma sociedade Anárquica. Após isso, a professora me disse alguma coisa assim: - Que bom que você tem no que acreditar, eu não tenho uma utopia há muito tempo. Minha resposta foi: - Professora, não é uma utopia, é uma promessa, é o céu o Reino de Deus.

Na oração do Pai Nosso, nós dizemos: - Venha o teu Reino! Penso que quando Jesus nos ensina isso, Ele está dizendo que nós devemos mostrar o Reino de Deus para as pessoas, essa esperança, e como fazer isso?

Parece que na minha idéia eu só irei viver na sociedade dos meus sonhos quando estiver no céu, porém essa oração me faz acreditar que nossa luta seja para que agreguemos conhecimento às pessoas para que elas vejam que é possível se viver em uma sociedade assim, ou então elas continuarão a viver sob governanças erradas e reclamando!

Enfim, me lembrando da oração do Pai Nosso, vejo que minha função na terra é distribuir conhecimento que gera esperança. E que venha o Teu Reino!

5 comentários:

Lucas disse...

cara, muito massa a associação... não tenho um conhecimento aprofundado a respeito do anarquismo, mas partindo do pre suposto apresentado por vc, concordo em genero, numero e grau: o cristianismo representa uma anarquia.
Abração, cara.

Israel disse...

Concordo com você, Mala. Mas creio que a gente somente viveria uma anarquia aqui na Terra se todos tivessem um relacionamento com DEUS, para que se amasse e tolerasse um ao outro. Mas como a maioria não tem...
Ah!, gostei da foto à direita.

Lucas disse...

não não, texto sem pé nem cabeça, não tem nexo e não acredito que cristianismo significa anarquia, no céu seremos perfeitos e teremos um governo mesmo assim.... aqui na terra nuca teremos uma sociedade desse jeito o homem nunca seria tão consciente aqui na terra. abraços

Aefe! disse...

Achei muito interessante e coerente a associação... Anarquia, como uma associação sem governo encaixa-se, a meu ver, perfeitamente com a idéia de eternidade proposta por nosso Deus. Ele será nosso rei, mas apenas um rei para nossa adoração, e não para seguir suas leis, pois as leis serão banidas, e serão banidas porque não precisaremos mais de leis para nos acusar. Um governo sem lei, um reinado sem governo(no sentido de legislador e governador das ações, pois as ações humanas estarão totalmente ligadas às vontades do rei, sendo assim espontâneas), mas um povo fiel, feliz e eternamente grato!

Marcio Uno disse...

Olá Aefe e galera. Bom, gostei do blog e fico feliz em saber que podemos nos comunicar e compartilhar através desses blogs. Legal, muito bom. Serei leitor assíduo.
Bom Aefe, quanto a adicionar o blog, fica tranquilo, faça o que quiser. Será uma grande honra
Abraços amigo