OBS.4s: observações quadradas para um mundo redondo sobre um Deus triúno!

20/07/2008

Herói


Durante toda a história da humanidade, vários guerreiros, profetas, homens comuns e até mesmo políticos foram nomeados heróis. Alguns por merecimento, outros não. A maioria deles são lembrados até hoje por lutarem fisicamente ou verbalmente a favor da liberdade do próprio povo e da unificação do país.

Temos como um grande exemplo, o escocês William Wallace (do filme “Coração Valente”), que enfrentou tropas inglesas em busca da independência da sua nação e acabou sendo brutalmente executado como forma de acabar com qualquer rebelião.

Aqui mesmo, em nosso país, podemos citar o mineiro Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. Ele nada mais, nada menos, queria tornar o Brasil independente de Portugal e libertar os escravos nascidos aqui. Acabou preso e condenado à morte.

Paulo de Tarso, um mártir conhecido por todos os cristãos, dedicou sua vida à pregação da Palavra pelo mundo e na orientação de igrejas e relacionamentos em geral. Foi preso inúmeras vezes, apedrejado, espancado e no final de sua vida, decapitado (talvez por ter sido cidadão romano). Mas ele combateu o bom combate. Ele morreu sabendo que ali não era o seu fim. Sua vida e sua luta tinham valido à pena. E ele estava sempre alegre e confiante no Senhor, mesmo quando era só feridas e algemas.

Por último e mais importante, o Rei, que não só lutou pelo seu povo, mas por todos os homens da terra. Ele que desejava muito mais do que liberdade e independência, mas de oferecer a vida após a morte, de mostrar o verdadeiro sentido de viver e o poder do amor e da fé. Aquele que nasceu para morrer. Ele não se tornou um líder e acabou morrendo. Ele já veio como líder e disposto a morrer. E os assassinos fomos nós! Eu matei o Rei, você matou o Rei! Mas Ele não se foi para sempre, só deixando aqui um legado. Ele ressuscitou dos mortos e subiu aos céus. Mas antes Ele foi ao inferno para mostrar sua vitória e fez todo o mal tremer de desespero.

Ele está vivo e esperando que cada um aqui reconheça a sua “causa” e o aceite não como herói ou mártir, mas como o Deus que deu a vida pelos seus filhos.

2 comentários:

Aefe! disse...

Temos muito bom Rael! É por isso isso que não quero ser herói... pra mim basta ser escudeiro do verdadeiro herói!!!

abraços

Cristiano Silva disse...

Tiradentes, herói? Sei lá, tenho minhas dúvidas hehehehehe

O tema "herói" teve alguma inspiração na recente estréia do Batman (que é o cara)? De qualquer forma, boa reflexão.

O mundo mesmo precisa dos seus heróis, não tem jeito. Como disse a Tia May, em Spider-man 2: "... eu acredito que exista um herói dentro de cada um de nós... que nos dão força, nos fazem nobres, mesmo que às vezes temos que desistir daquilo que queremos mais".

Muito sábia esta Tia May... :)