OBS.4s: observações quadradas para um mundo redondo sobre um Deus triúno!

15/07/2008

Sobre ser homem

O macho revestido de humanidade

Falar sobre masculinidade é um terreno perigoso, já que homem que é homem não fica falando de masculinidade (rsrsrs), mas vou arriscar, pois acho um assunto tabu e importante, tendo em vista a tsunami feminista que faz o homem contemporâneo, diante de identidades femininas tão fortes, proteger-se em dois extremos: ele pode negar qualquer coisa que o identifique com os clichês femininos, tornando-se o famoso troglodita, o macho paca, o selvagem nu e cru; ou por outro lado, até bem intencionado (talvez até demais), o homem reaja com passividade à identidade feminina, caindo em outro extremo, tornando-se então um afeminado.

O troglodita preserva o que há de mais selvagem na alma masculina, é o macho desvestido de humanidade; o afeminado, por sua vez, indo talvez em busca de se tornar um “homem melhor”, acaba assumindo uma atitude passiva e condescendente.

Conforme coloquei em post passado, que pode ser lido aqui, acredito que a verdadeira humanidade é a soma do masculino com o feminino, e homens e mulheres somente são plenamente humanos estando juntos, sendo homens e mulheres completos. Assim, para a busca de ser um homem melhor, antes de buscar minha humanidade, devo buscar ser um homem de verdade. É sendo homem que o homem chega ao mais próximo da humanidade criada por Deus.

Antes de mais nada, acredito que ser homem de verdade é ser macho guiado pela sua humanidade, e para melhor entender, creio que dois verbos podem nos ajudar:o homem tem que construir e comunicar. Sendo assim, caem por terra dois modelos de masculinidade muito fortes, mas que não se encaixam no macho humanizado, que é o do troglodita, mal encarado, que destrói: os rambos, os Chuck Norris e capitães Nascimento. O outro modelo é o do lobo solitário, o homem incomunicável, sozinho, fechado nele mesmo.

Tendo isso em vista, creio que para o homem ser homem de verdade, ele deve fazer coisas que só o homem pode fazer, seja lá o que isso seja. Por que...

... só o homem pode ser homem para outros homens.

a) na fraternidade:

Só o homem pode ser irmão de outro homem, aquela amizade próxima e íntima. Nessa amizade homem/homem, mulher não alcança... por mais que haja verdadeiras amigas/homem (no bom sentido), nunca será a mesma coisa. Esse papel, talvez, a mulher assumiu pela falta de verdadeiros amigos homens, mas somente um homem saberá entender os conflitos, as crises, as pressões e mesmo as alegrias de outro homem. Também, somente um homem pode desempenhar o papel masculino na auto-estima de outro homem. O elogio que um homem recebe de uma mulher é muito diferente da admiração recebida de um outro homem. Só um homem pode construir um outro homem com sua amizade.

b) na paternidade:
Embora muitas mães desempenhem esse papel, somente um homem pode ser um pai verdadeiro para um filho homem. Na ausência deste pai biológico, o menino homem buscará em outros homens a paternidade, com quem aprenderá a ser homem e a se comunicar entre homens.

Além do mais...
...só o homem pode ser homem para as mulheres:

Nisso, ficam de fora os famosos AGs, consolidados pela TV e pelo cinema. Muitos homens, na cobrança feminina, tem cedido sua masculinidade na busca de “entendê-las”. Acho que um homem nunca entenderá a mulher completamente, e ser insistente nisso pode causar sérios danos a já frágil masculinidade. Da mesma forma, a mulher não deve cobrar feminilidade no homem, como tem sido muito cobrado hoje. O homem tem que entender que muitas vezes ele vai decepcionar as mulheres e que ele não vai conseguir agradá-las todas as vezes, e isso não porque seja mau homem, mas sobretudo porque é homem. Quão bom seria se Adão tivesse desagradado Eva, impedindo-a de comer do fruto proibido... Ao homem cabe ser homem...

a) na fraternidade:
o homem precisa ter amigas, mas não pela ausência de amigos homens, e nem pela carência de aprovação feminina (os famosos bebezões), mas somente com a amizade feminina o homem poderá aprender a conviver com outra mulher, aceitando e compreendendo as diferenças. O homem não tem que ser como uma mulher na amizade. Ele tem que ser homem, pois também a mulher precisa saber o que é ser um homem de verdade.

b) na paternidade:
a figura do pai na construção da feminilidade é muito importante, por isso, somente um homem pode ser pai para uma menina. Isso não é tão lógico quanto parece. Somente o pai irá mostrar à menina/filha o verdadeiro papel do homem numa relação de casal (em aspectos psicológicos e afetivos e não sociais, isto é, as diferenças de afeição e preferências, e não de provedor em contraste com a dona de casa).

c) na sexualidade:
a relação homem/mulher chega onde não chega a relação homem/homem, pois só o homem foi feito para se relacionar sexualmente com uma mulher, e vice-versa. Macho e fêmea chegam ao ápice de uma relação, é onde se encontram, se conectam, corpo e alma, é quando a humanidade se faz completa. Vou mais além: o homem precisa de uma mulher para se relacionar sexualmente, e a ausência dela é tão sentida ou mais quanto a ausência da amizade, isto é, é possível, mas é doloroso e solitário, e a natureza encontrará outros meios de substituí-la, sendo alguns saudáveis, mais outros pecaminosos.

Um homem diante de Deus.
Creio que o homem será julgado diferente da mulher. Não arrisco dizer como, mas creio que Deus tem expectativas diferentes entre homens e mulheres. Assim, ao homem, Deus requer sua masculidade. Devemos buscar ser homens de verdade não para ter a admiração de outros homens; não para ter a admiração das mulheres, mas por causa de Deus, porque Deus criou o homem para ser um homem, e o julgará como tal. Quando a humanidade pecou pela primeira vez, foi ao homem que Deus procurou para cobrar satisfações, para pedir prestação de contas. Quando Deus olha para um homem, ele espera uma atitude de homem. Aos homens, serão felizes aqueles que ouvirem o chamado: “O Senhor é contigo, homem valente!” Jz. 6.12.


***** dois livros interessantes sobre este assunto. Um cristão, e outro secular:
O silêncio de Adão, de Larry Crabb
Porque os homens são assim, de Steve Biddulph.

5 comentários:

Jônatas - Mala disse...

Gostei do texto aefe.
Acho que ser homem ficou fora de moda. Mas não ficou errado.
Abraço

Aefe! disse...

Valeu Mala, e este seu comentário foi uma frase de efeito muito legal, cabe num próximo "foto e letra", rsrsrs...

Quanto ao Fórum, gostaria de explicar minha opinião e levantar o debate.
Para a pergunta, de quem é a amazônia, creio que a resposta é: da humanidade. Isto por que Deus deu à ela. Assim, a Amazônia não é exclusividade dos brasileiros, dos povos indígenas, e muito menos dos cristãos.

No entanto, cabe outra pergunta: Quem é responsável pela Amazônia? Então seria a nação Brasileira.

Uma coisa é o consumo da amazônia, e outra coisa é o cuidado dela.
Qualquer ser humano, qualquer nação, estará no direito de cobrar da nação brasileira, os legítimos cuidados; no entanto, sem uma nação ou povo exclusivamente tem o direito de consumo dela.

A nação brasileira deve cobrar seus direito não de consumo, mas o privilégio de servir à humanidade e à Deus, cuidando bem da Amazônia.

Por este lado, os cristão brasileiros são tão ou mais responsáveis pelo cuidado da Amazonia, afinal, prestarão contas não somente à humanidade, mas para Aquele a quem para ela presenteou.

Israel disse...

Não tinha pensado por este lado, Aefe (em relação à Amazônia). Mas concordo com você! A Amazônia pode "sustentar" todos os seres vivos na hora do aperto...

Cristiano Silva disse...

No meu ponto de vista:

1) Os homens pode aprender e muito com a sensibilidade feminina. Faz falta isso para um homem. Não estou dizendo que ele deva se feminilizar, mas desenvolver sensibilidade para as coisas é desenvolver atitudes de bom senso e caridade. Por exemplo: minha turma na faculdade era composta, no primeiro ano, de mais de 30 homens e apenas 2 mulheres. Nós, os homens da turma, naquela coisa de brincadeira que só os homens adoram fazer, um dia tivemos a brilhante idéia de colocarmos um besouro morto dentro do estojo da menina. Bom, o resultado, como você podem imaginar qual foi, me levou a pensar como faltou para nós a sensibilidade naquela hora. :)

2) Falar que o homem deve ser viril não é o mesmo que falar que ele deve sar um Ogro, um Troglodita ou coisas do tipo. Acho que as mulheres sentem falta um pouco deste lado viril do homem atualmente: elas precisam deste senso de proteção que só o homem pode dar. Segurança e firmeza são traços que elas gostam, na minha opinião. Recomendo (muito!) a leitura deste pequeno texto:

http://normabraga.blogspot.com/2008/02/ennio-morricone-good-bad-and-ugly.html

3) Só o homem pode ser o cabeça da família. Ele é o chefe, e sua autoridade na família se submete em primeiro lugar à autoridade de Cristo. Deus deu ao homem este papel, e é para ele desempenhá-lo. Não sou eu quem ensina isto, mas a Bíblia (Ef. 5:22-24). Porque se algo acontecer com a família, Deus irá questionar em primeiro lugar o homem mesmo que a culpa do ocorrido não tenha sido dele: ele é o chefe e o responsável.

Agora, vocês já repararam como nós homens costumamos tratar os nossos amigos/colegas com "ofensas", ou seja, demonstramos que gostamos de sua compainha zoando deles? Na escola mesmo, sempre vi bons amigos se cumprimento não com "bom dia caro colega" mas com um "e aí filho da p***" e outras coisas do gênero. Aí começam as piadinhas de duplo sentido, que colocam em cheque a orientação sexual do colega. Agora, amizade mesmo é demonstrada quando um homem tem a liberdade de xingar e ofender mãe do outro: é o sinal de uma amizade profunda.

Sei que é uma lógica bizarra que as mulheres nunca vão entender. Uma mulher não vê uma amiga na rua e a xinga para demonstrar o quanto gosta dela, só os homens fazem isso. Elas não entendem e nunca vão entender, mas é uma realidade. Procurem a crônica super engraçada que Luís Fernando Veríssimo escreveu sobre este fato. ;)

Ótimo texto, parabéns.

Cristiano Silva disse...

Ops! No início do ponto 3 onde eu disse:

"Só o homem pode ser o cabeça da família..."

Na verdade eu quis dizer:

"É para o homem ser o cabeça da família..."

Porque as mulheres também tem a capacidade de desempenhar este papel, se for o caso. E já conheci casos assim.