OBS.4s: observações quadradas para um mundo redondo sobre um Deus triúno!

08/06/2009

Missão Integral

Extraído da mesa redonda do Fórum Jovem de Missão Integral - 2007

Pergunta dirigida à mesa: Dentro da compreensão de missão integral, geralmente se fala sobre a questão do pobre e do excluído. Mas é possível a gente, como igreja, também ter uma abordagem em relação àqueles que são ricos ou que não são excluídos ou não são pobres? Isto ainda é missão integral uma vez que aquelas pessoas são pobres, são excluídas mas todo este sistema de opressão ele, de certa forma, é feito uma manutenção dele por meio de pessoas que detém o poder e detém o dinheiro?

Resposta do pastor Ed René Kivitz:

Eu me aventuro na resposta.

E acho a pergunta extremamente inteligente e relevante pra nós estabelecermos alguns critérios básicos aqui nesse Fórum de Missão Integral.

Porque ela é uma pergunta que afeta diretamente nosso conceito de evangelização. E de alguma forma nós herdamos um conceito de evangelização onde a evangelização é o anúncio de uma mensagem. E com todo respeito aos nossos irmãos, uma mensagem que foi traduzida em quatro leis espirituais.

Evangelizar, para nós, é sinônimo de evangelismo pessoal. Evangelizar, para nós, é sinônimo de oferta de uma salvação individual, pós-morte, onde você começa dizendo que o camarada é pecador, mas que Deus o ama, tem um propósito para vida dele e se ele aceitar Jesus como salvador pessoal ele vai pro céu. Isso é evangelizar. Entretanto, este conceito de evangelização é absolutamente estranho às páginas da Bíblia Sagrada e do Novo Testamento. Porque evangelizar é não anunciar uma mensagem, mas é anunciar a chegada de uma realidade: o Reino de Deus chegou e o Rei chegou junto com ele. Ou: o Rei chegou e se o Rei chegou o Reino chegou junto com Ele.

Evangelizar é levar ao homem integral nas suas relações integrais com a existência a realidade do Reino de Deus e não uma mensagem. É levar o Reino. É dizer ao ser humano coletivo, ao ser humano em coletividade: o Reino de Deus chegou!

Quando eu anuncio isso, para o pobre é uma boa nova, para o rico é uma péssima nova. Para o pobre é “Ah! Então chegou o Rei Justo! Que vai promover a Justiça! Que vai trazer a Paz! Que vai trazer reconciliação! Que vai olhar para aquele que está oprimido! Que vai trazer libertação! Que vai trazer a cura nas suas asas! Ah! Chegou o Rei?”. Chegou! “Chegou o Rei que vai destronar os poderosos? Chegou o Rei que vai derrubar os altivos? Chegou o Rei que vai promover definitivamente a vontade de Deus na Terra como ela é feita no céu?” Ahh, para alguns isso é uma péssima notícia.

Por isso é que quando os discípulos de João Batista perguntam: “És tu aquele que havíamos de esperar?”. Jesus responde: “Voltem e digam a João Batista o que é que vocês estão VENDO”.

Porque a chegada do evangelho, da boa nova, é a chegada do Reino. E o Reino não é uma coisa que a gente escuta a respeito; o Reino é uma coisa que a gente vê. E Jesus disse assim: “Voltem e anunciem o que vocês estão VENDO!”.

O Rei chegou! Os aleijados andam, os cegos vêem, os leprosos são purificados, os presos são libertos e aos pobres é anunciado a boa notícia. É a notícia do ano aceitável do senhor, o ano das dívidas perdoadas. Os credores não gostam desta notícia; só os devedores gostam desta notícia.

Por isso, a missão integral não é o que o Ari (Ariovaldo Ramos) estava falando ontem à noite. Não se confunda missão integral com cesta básica e ação social. A missão integral é levar o evangelho todo para o homem todo. O homem em suas circunstâncias. É anunciar a chegada do Reino de Deus; isto é evangelizar. E demonstrar com palavras e obras que esse Reino está presente.

Nesse sentido, ao pobre é promover a sua libertação, é promover a sua dignidade humana, é promover a sua condição de ser criado a imagem e semelhança de Deus. E ao rico, é convidá-lo a converter-se à Justiça do Reino; que em termos práticos é converter-se ao pobre e a causa do pobre. Não é convidar o rico pra deixar de ser rico, é convidar o rico pra que ele manipule a riqueza não como se fosse sua, mas como uma riqueza que pertence a Deus e, portanto, pertence a todos e não somente a ele, rico.

Então você está certo porque essa sua pergunta nos ajuda a corrigir uma possível distorção: que missão integral é a mobilização da igreja na direção ao pobre. Não, missão integral é a mobilização da igreja para que ela seja uma evidência, um sinal histórico de que o Reino de Deus está presente e que diante deste Reino presente o pobre tem um posicionamento a assumir e o rico tem um posicionamento a assumir. Um posicionamento ao Rei e ao Reino que Ele trouxe.

2 comentários:

Mano e Lívia - Os DelaSilva disse...

Agora eu entendi!!!

Jônatas - Mala disse...

É interessante perceber que todos nós possuimos o rico e o pobre dentro de nós, isso faz com que a mensagem seja um alívio e ao mesmo tempo um puxão de orelha para nós.
Isso é bom demais.