OBS.4s: observações quadradas para um mundo redondo sobre um Deus triúno!

06/06/2010

Cuidem das minhas ovelhas


Hoje, em cada esquina, tem uma igreja. Ás vezes entramos pensando ser um salão de beleza, mas não, é uma igreja. Eu deveria ficar feliz, não é? Ora, a igreja está se espalhando sem limites! Por que escrever um texto abordando a diversidade de igrejas e denominações?

Em minha opinião, tem denominação que parece até empresa, vive abrindo franquias. E como dão lucro! Clientes ansiosos por um amparo, por respostas, por cura, aparecem na porta da aparente igreja, e ficam. Ficam pensando que terão o retorno esperado.

Quantas, mas quantas pessoas precisam ser ouvidas! Percebo que grande parte dos pastores está preocupada em aparecer no domingo para dirigir o culto e pregar. Só!
Não há um sentimento de preocupação, uma vontade de ouvir as ovelhas, conhecer profundamente a vida de cada uma e orar.
Estão resumidos em cumprir a tarefa de administrar o templo!
Irmãos se afastando, irmãos se desviando, irmãos morrendo, sem ter tempo e incentivo para voltar ao evangelho! Todos nós estamos preocupados em evangelizar, buscar novas almas, e aumentar o número da igreja, mas nem mesmo conseguimos cuidar de quem está dentro.
No capítulo 33 de Ezequiel, Deus mostra claramente a nossa responsabilidade em advertir e orientar o próximo na sua conduta, caso ele se desvie. Se não o fizermos, a culpa da morte eterna dele será nossa.
Deus nos julgará segundo os nossos próprios caminhos. “Se eu garantir ao justo que ele irá viver, mas ele, confiando em sua justiça, fizer o mal, de suas ações justas nada será lembrado; ele morrerá por causa do mal que fez.” (Ezq. 33:13)

Voltando ao assunto, no mesmo livro mencionado acima, agora no capítulo 34, Deus enfatiza o cuidado que os pastores devem ter com suas ovelhas! As ovelhas tendem a se perder e, estando perdidas, são facilmente tragadas pelo mal. Logo, cabe ao seu pastor cuidar, guiar, proteger, aconselhar, tratar as feridas e, caso se percam, procurá-las e trazê-las de volta!
Não lembro agora de já ter lido na Bíblia sobre Deus fazendo um juramento sobre a própria vida como li em Ezequiel 34:8-10. Se os pastores se preocuparem consigo mesmo e deixarem o rebanho de lado, Deus se voltará contra estes pastores e os responsabilizará por cada perda. Cada uma.

Há uma ilustração interessante que me veio à mente: Deus é pastor de todo o rebanho. Nós somos o seu cão-pastor. Ele nos manda ir juntar as ovelhas, organizá-las e protegê-las. Alguns de nós ignoramos a ordem e corremos para o outro lado do campo, indo atrás de achar o nosso próprio osso enterrado.

Quando entrar um perdido na igreja, na hora do culto, esteja ele bêbado, endemoniado ou louco, vamos esquecer os formalismos do culto e chamar esta ovelha desgarrada à frente, para ser clamada a presença e misericórdia de Deus na vida dela.

Que cada um de nós possa começar a se preocupar um com o outro, que os pastores cuidem de seus rebanhos e que juntos, resgatemos a vida daqueles que estão vagando sem direção.

Um comentário:

André Filipe, Aefe! disse...

Olá Israel,

este texto foi muito edificante para mim. Obrigado pelo texto.
Lembrando que pastores, no AT, não é o mesmo sentido de hoje, mas eram os reis e juízes, isto é, os líderes. O texto demonstra que para os homens é impossível pastorear, pois são pecadores e vaidosos. Por isso mesmo, este sentido será trocado no NT, com o Sumo Pastor, Jesus Cristo, e a igreja, em Pedro, que, tal cães, irão conduzir as ovelhas até o Sumo Pastor.
A ideia do cão ficou jóia mesmo!