OBS.4s: observações quadradas para um mundo redondo sobre um Deus triúno!

06/09/2009

Chamados

No final do evangelho de Mateus temos a chamada grande comissão que é a ordem de Jesus para ir por todo o mundo e fazer discípulos de todas as nações.

Sei que esta passagem é clara e não nos deixa dúvida sobre nossas obrigações como discípulos de Jesus, mas vamos compreender uma outra dimensão desta ordem.

Uma coisa que tenho aprendido aqui no CEM é que a Bíblia foi escrita com um propósito primeiro de atingir às pessoas de sua época e, pela sabedoria de Deus, ela é ainda viva e eficaz para nossos dias.

Então vamos entender, primeiro, o que significava ser discípulo na época de Jesus.

Todo judeu acredita que a Torá (os cinco primeiros livros da nossa Bíblia que significa: ensino, instrução ou simplesmente “o caminho”) era o centro, a base de suas vidas e era o enfoque do seu sistema educacional. A maioria das crianças judias com cerca de seis anos entravam na escola para aprender a Torá e se reuniam na sinagoga e eram ensinados por um rabino (o professor local da Torá). Este primeiro nível de ensino era chamado de beit sefer e durava até as crianças completarem dez anos. No beit sefer eles memorizavam a Torá e aos dez anos, seus ensinamentos estavam gravados em seus corações. Terminando o beit sefer a maioria das crianças saiam da escola e começavam a aprender o ofício e negócios de suas famílias, mas os melhores dos melhores continuavam estudando e a educação deles prosseguia para o próximo nível: o beit Talmud. No beit Talmud, os que demonstravam uma aptidão natural, memorizavam os demais livros da Escritura Hebraica (Gênesis a Malaquias). Aos 14 ou 15 anos eles terminavam o beit Talmud e a maioria deles também já tinha aprendido um pouco sobre o ofício da família, mas os melhores dos melhores dos melhores prosseguiam ao próximo nível de educação, o chamado beit midrash. Para este próximo passo eles iam até um rabino e pedia pra se tornarem um dos seus discípulos. Então, o rabino os testaria fazendo perguntas sobre a Torá, sobre os profetas, sobre tradições orais, porque o que o rabino queria saber era: “Este rapas pode sentar-se à minha frente? Ele pode fazer o que eu faço? Será que ele pode divulgar a minha maneira de interpretar as Escrituras? Será que ele tem o que eu preciso?” Então o rabino testaria o rapaz com algumas perguntas. E se ele achasse que o jovem era bom, que amava a Deus, amava a Torá, mas que o jovem não era o melhor dos melhores o rabino diria ao rapaz: “Vejo que você ama a Deus e conhece a Torá, mas não tem as qualidades para ser meu discípulo”. E o rabino diria algo assim: “Vai e continue estudando os negócios de sua família. Continue a praticar o ofício da família”. Mas, se ele tivesse as qualidades necessárias, então o rabino diria ao rapaz: “Venha. Siga-me”. Então, este garoto de 14 ou 15 anos deixaria sua família, amigos, a sinagoga, o vilarejo e dedicaria sua vida inteira a ser como aquele rabino, aprender a agir como o rabino. Isso é o que significa ser discípulo.[1]

Tiago e João é encontrado por Jesus enquanto estavam pescando com seu pai (Zebedeu), possivelmente estavam seguindo o ofício de suas famílias por não serem bons suficientes para se tornar um rabino. Mas então, Jesus (o melhor dos rabinos) chega a eles e diz: “Venha. Siga-me”. Jesus, com estas simples palavras, estava dizendo: “Vocês podem fazer o que eu faço. Vocês podem ser como eu”.

Trazendo agora para nossos dias podemos entender o chamado a fazer discípulo não apenas como uma ordem a trazer pessoas para nossa religião, mas como o dever de fazer com que outras pessoas venham a se tornarem como Cristo.

Se você é um discípulo de Jesus você deve imitá-lo e acreditar que isto é possível, pois um dia você foi escolhido por Ele para ser um discípulo[2]. E como discípulo de Jesus você deve fazer outros discípulos. Deve resgatar pessoas do fatalismo de sua vida mostrando que ele pode ser como a pessoa mais extraordinária que este mundo já conheceu – Jesus – pois Ele mesmo as escolheu, mesmo conhecendo nossa condição[3].



[1] Parágrafo baseado no vídeo de Rob Bell – Nooma 008 – Dust.

[2] Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda. João 15.16.

[3] Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, — pela graça sois salvos... Efésios 2.4-5.

Um comentário:

Isis disse...

Zé achei o texto edificante.
Que Deus continue te abençoando.